Smart Solar Market

Com o aumento da urbanização e da população em todo o mundo, há um aumento na demanda de recursos. O esgotamento nos recursos naturais provoca nas organizações a inovação de tal maneira que possam utilizar recursos alternativos para extrair energia para as necessidades da vida.

O dispositivo solar inteligente é o equipamento que auxilia na extração de energia solar, oferecendo melhor eficiência. Os dispositivos solares inteligentes estão entre os dispositivos que as pessoas gradualmente estão a se conscientizar haja vista às iniciativas tomadas pelas agências governamentais para descobrir fontes alternativas de energia que são renováveis. Diversos requisitos de energia podem ser satisfeitos com a aplicação de sistemas de energia solar. Com o avanço da tecnologia, os dispositivos estão sendo inovados para operar em um ambiente inteligente. Os dispositivos solares inteligentes ajudam a minimizar o desperdício de energia e utilizam o poder do Sol da melhor maneira possível para tornar a energia disponível e melhorar a eficiência dos dispositivos.

Smart Solar Market: Drivers e Desafios

Com o avanço da tecnologia, há uma maior adoção em dispositivos inteligentes, incluindo componentes, soluções e serviços inteligentes com energia solar em várias áreas como indústrias, comércios, residências e suas aplicações. O objetivo desta adoção e avanço na tecnologia é a preservação de energia minimizando os danos causados ​​ao meio ambiente. A preocupação dos clientes com as fontes de energia renováveis, outros fatores sociais e ambientais que aumentam a aplicação de dispositivos solares inteligentes na aplicação diária estão impactando positivamente no crescimento do mercado.

Seminário “Embalagens e Sustentabilidade”

Unilivre e Associação Brasileira de Embalagens promovem o Seminário “Embalagens e Sustentabilidade”
Por Fabiano Ferreira

Os painéis de debates acontecem nos dias 16 e 17 de agosto, no Auditório II da Fiep do Jardim Botânico, em Curitiba
O Seminário de Embalagens e Sustentabilidade pretende ser um espaço para a discussão de temas como: impactos no meio ambiente, papel da indústria e função do consumidor. O evento vai reunir representantes de empresas, da indústria, da cadeia de fornecedores, da sociedade civil, acadêmicos e a participação do consumidor. Serão discutidos métodos e formas de descarte corretos, modo de uso, inovações na indústria, além de apresentações de cases de sucesso, voltados às causas sustentáveis.

O Ministério do Meio Ambiente realizou uma pesquisa neste ano de 2017 e apontou que no Brasil um quinto do lixo é composto por embalagens, e 25 mil toneladas desses resíduos acabam dispensados em depósitos das cidades. Cerca de 80% desse material adquirido pelo consumidor é utilizado apenas uma vez. O descarte é inadequado fazendo com que os mesmos não sejam reutilizados de maneira consciente. Dessa forma acabam em aterros sanitários e lixões, ou seu processo de decomposição é finalizado no meio ambiente.

Diante do tema, algumas questões delicadas são levantadas: Por que mais embalagens podem significar menos impactos ambientais? Como embalagens influenciam a cadeia de consumo e por que aterrar pode fazer mais sentido que reciclar? Para o gerente de sustentabilidade da Bemis, Teddy Lalande, várias pesquisas trazem a discussão de volta para o campo da ciência e prometem mudar a sua visão. “Leigos geralmente restringem a problemática ambiental das embalagens a resíduos que devem ser reciclados. Sem base científica, deixam as emoções guiar o raciocínio, o que prejudica a causa, e esta simplificação é perigosa”.

Para o diretor-superintendente da Unilivre, Celso Romero Kloss, é importante promover uma discussão sobre um dos grandes problemas ambientais atuais ligados à poluição, que é o excesso de embalagens. Serão analisadas também, questões como a concepção desses produtos, o descarte, possíveis formas de reciclagem e os impactos para o planeta. “Queremos reunir esses profissionais a fim de debater a relação entre embalagens e sustentabilidade, o consumo consciente e avaliar os problemas para gerar soluções possíveis”, completa.

Outro palestrante confirmado para o evento, o doutor em Design pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, Cláudio Sampaio, afirma que os temas sustentáveis abordados têm relevância na sociedade, mas aponta outras peculiaridades: “A intenção é proporcionar ao público uma visão geral do conceito de ciclo de vida do produto. Abordaremos as principais estratégias de redução de impactos ambientais relacionados a este ciclo, que os designers utilizam conforme o projeto que estão desenvolvendo”.

No primeiro dia de evento estão programados painéis de discussões para debates sobre os modos de uso, inovações da indústria, o envolvimento da cadeia de fornecedores e o papel do consumidor. No segundo dia alguns dos participantes abrirão espaço para apresentação de cases de sucesso e soluções sustentáveis.

Informações:
Local: Auditório II da Fiep
Endereço: Rua Comendador Franco, 1341 – Jardim Botânico – Curitiba – PR
CEP: 80215 -090
Telefone: 41 3254 3734
E-mail: tecnologia@unlivre.org.br
Acesse o link, confira nossos pacotes promocionais e faça sua inscrição pelo site: http://unilivre.org.br/event/ses2017/

Rejeição da regra do PLD

Mercado rejeita em peso manutenção de regra de republicação do PLD

O mercado está unido na rejeição a qualquer proposta que mantenha a regra de republicação do Preço de Liquidação das Diferenças. Profissionais de diferentes segmentos e consultores mostraram um consenso poucas vezes alcançado em assuntos polêmicos do setor elétrico, ao participarem de reunião pública organizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica nesta quarta-feira, 29 de junho.

Concorrência onde não há !!

Olha a quantidade de asneiras que este coitado escreve, ri muito. Eles estão a despejar a própria incompetência em um segmento que nem conhecem :

O colapso energético ocorrido no Brasil no início de 2015 e o acordo do clima de Paris, assinado recentemente na sede da ONU, trouxe à mídia um grande volume de informações sobre tecnologias sustentáveis capazes de poupar recursos naturais. Na esteira da cesta de soluções energéticas aclamadas pela imprensa está o sistema fotovoltaico, painéis solares que produzem energia elétrica para ser consumida em residências, por exemplo, de maneira autônoma.

Esse “boom” de notícias, gerou muita curiosidade na população. Com isso, a procura por sistemas fotovoltaicos cresceu abruptamente em lojas especializadas em soluções energéticas e também em revendedores de aquecedores solares Soletrol.

A partir desse ponto, precisamos saber utilizar esse volume de interessados em sistemas fotovoltaicos a nosso favor. Como? Educando os clientes sobre a aplicação dos sistemas térmico e fotovoltaico, que apesar da utilização do sol como fonte de energia, tem aplicações e, principalmente, custos de implantação e retornos do investimento muito diferentes.

A energia fotovoltaica será de grande relevância para a matriz energética nacional, mas isso ainda demanda muitas regulamentações e amadurecimento do mercado. Da mesma maneira que o setor solar térmico demandou cerca de 20 anos para amadurecer, o segmento de painéis fotovoltaicos ainda tem um caminho a trilhar.

Para nos embasarmos melhor, vamos fazer uma rápida reflexão sobre as tecnologias:

Fotovoltaico – alto custo de aquisição e retorno do investimento em torno de 12 a 15 anos;
Solar Térmico – baixo custo de aquisição e retorno do investimento em cerca de 2 anos;

Fotovoltaico – Instalação especializada, custo de manutenção elevado e necessidade de liberação burocrática junto à concessionária de energia;
Solar Térmico – Fácil instalação, manutenção com custo quase zero e sem burocracia para a implantação (comprou, instalou, usou!);

Fotovoltaico – Produtos importados e uso de sua mão de obra, em sua maioria, fora do Brasil;
Solar Térmico – Produto 100% nacional, gerando milhares de empregos e renda no Brasil.

Explique aos seus clientes sobre as tecnologias e sobre o quão vantajosa é a opção de aquecer a água do banho com o aquecedor solar – tecnologia capaz de economizar cerca de 40% da conta de energia elétrica da residência.

Produtos ecologicamente corretos são sempre uma boa escolha e tanto os painéis fotovoltaicos como os painéis térmicos cumprem com essa função. No entanto, transformar uma residência em ecológica demanda tempo e investimento e, por isso, é importante haver um cronograma orientativo de implantações. E nesse cronograma de prioridades, os painéis solares para aquecer a água do banho devem ter prioridade. Por isso, aproveite as oportunidades e indique primeiro o Soletrol!

Pense nisso e venda mais!

Fonte: Soletrol

Maior planta industrial

Link

http://g1.globo.com/minas-gerais/videos/t/mgtv-1-edicao/v/fabrica-em-alvinopolis-e-o-maior-sistema-privado-de-geracao-de-energia-solar-fotovoltaica/5160986/